Procura-se voluntários para abraçar bebês prematuros na UTI

- 14:12

Há bebês que, sendo prematuros, precisam ser tratados na unidade de terapia intensiva para mantê-los sob controle o tempo todo.

Mas esta é a parte física e médica, há outra parte muito importante (ou mais que a parte física) que não pode ser ignorada.

Os recém-nascidos são os seres mais vulneráveis da raça humana e o que mais precisam para sobreviver e desenvolver é o calor humano.

Eles precisam de carinho e afeto constantes e muito mais se forem prematuros, pois ainda devem estar no útero, e não em uma incubadora.


Você pode pensar que aqueles que deveriam abraçar e aquecer seus filhos recém-nascidos e prematuros são os pais.

E isso é verdade, mas os pais nem sempre têm 24 horas (por várias razões), por isso procuram voluntários para esses bebês enquanto os pais estão fora.

É uma ótima idéia para os pequenos não perderem o contato humano no momento em que estão sozinhos.
Uma ideia inovadora
Essa ideia foi estabelecida no Programa Baby Cuddler e no Hospital Geral San Bonifacio em Winnipeg, Manitoba (Canadá).
Neste hospital, eles estão procurando voluntários para abraçar bebês que precisam disso, e pais que concordem.
Neste hospital, existem mais de 350 voluntários que doam mais de 40.000 horas de tempo no hospital a cada ano.

Os voluntários estão disponíveis em muitas áreas do hospital, proporcionando conforto e atendimento aos pacientes e suas famílias, bem como à equipe de suporte profissional.
O trabalho voluntário está disponível sete dias por semana.

Os recém-nascidos prematuros e em período integral precisam de contato físico constante para se desenvolver bem física e emocionalmente. Carícias, abraços, sussurros ...
Tudo é importante para um bebê se sentir confortável e amado o tempo todo.

Quando uma criança recebe amor e amor constantes, ele dorme melhor e é mais feliz do que as crianças que crescem sem contato físico, sem amor ou sem abraços.

E se o Brasil adotasse essa ideia?
Esses voluntários podem fazer um ótimo trabalho para esses bebês que, embora não se lembrem disso no futuro, sentirão um grande amor altruísta pelas pessoas que desejam amar esses pequenos.

Publicidade