Palácio de 3.400 anos emerge pela seca no Iraque na represa de Mosuld

- 14:13

Arqueólogos e pesquisadores do Iraque e da Alemanha estão estudando um achado antigo, que veio à luz como resultado da seca que atingiu a região do Curdistão, localizada na Ásia Menor.

Um palácio construído na Idade do Bronze surgiu entre as águas da costa oriental do rio Tigre. A descida ao reservatório da Represa de Mossul expôs as ruínas de 3.400 anos, que seriam remanescentes do Império Mitani.


“Encontramos restos de pinturas murais em tons de azul e vermelho. No segundo milênio aC, os murais eram uma característica típica dos palácios da região, mas raramente eram bem preservados. Então, descobri-los em Kemune é uma sensação arqueológica ”, disse Ivana Puljiz, que faz parte da equipe de pesquisa da Universidade de Tübingen (Alemanha).

De acordo com especialistas que analisam a descoberta, o palácio de Kemane, como era chamado por sua localização, surgiu na época do Império Mitani que levou o norte da Mesopotâmia e a Síria entre os séculos XV e XIV. O estudo do palácio ajudaria a entender aspectos políticos, econômicos e históricos de um dos períodos menos investigados do antigo Oriente Próximo.

"É uma das descobertas mais importantes registradas na região nas últimas décadas", disse o arqueólogo Hasan Ahmed Qasim, que estudou de perto esse trabalho de engenharia medieval. O palácio está instalado em uma colina de sete metros de altura: possui paredes de adobe de até dois metros de espessura e algumas delas são construídas com tijolos de barro.

Sem dúvidas uma grande descoberta que nos revela segredos até então desconhecidos. Compartilhe essa grande descoberta com seus amigos e não se esqueça de nos apoiar com um like.



Publicidade