Leonardo DiCaprio e Mark Ruffalo se unem para defender a Amazônia

- 14:50

Esses atores mundialmente reconhecidos se uniram para apoiar a causa dos povos indígenas Waorani que defendem seus territórios da extração de petróleo.

Recentemente, os renomados atores de Hollywood levantaram suas vozes, mostrando sua preocupação com a difícil situação do povo nativo Waorani, uma vez que estão em um processo com o governo equatoriano, que abriu a possibilidade de projetos de mineração e exploração de petróleo em suas terras.

A comunidade Waorani está trabalhando para coletar 500.000 assinaturas de apoio para pedir ao governo que respeite a decisão de um tribunal, que bloqueia o caminho para projetos de exploração.


DiCaprio, liderou várias iniciativas e se tornou uma voz muito influente dentro dos governos, além de uma referência sobre o cuidado com o meio ambiente, ele escreveu em sua conta no Twitter: "O governo do Equador ainda está tentando leiloar as terras ancestrais dos Waorani para perfuração de petróleo. Assine a petição para proteger a Amazônia »....
Mas DiCaprio não foi o único, o ator que interpreta 'Hulk' na saga da Marvel, Mark Ruffalo, juntou-se e escreveu isso em sua conta no Twitter 'Hoje, os Waorani vão à Justiça para salvar o petróleo de meio milhão de hectares de floresta e precisam do nosso apoio. Estou com o Waorani e hoje peço que façam o mesmo. Por favor assine a petição. "

Sua mensagem foi rapidamente compartilhada pelo ator que interpreta o Capitão América, Chris Evans, que é seu amigo e parceiro no set da saga dos Vingadores.
As reações do pessoal Waorani foram imediatas e através de sua conta no Twitter, eles agradeceram a Leonardo DiCaprio e Mark Ruffalo por apoiarem sua luta:
O governo do Equador, na segunda-feira, apelou de uma decisão do tribunal que impedia a entrada de companhias de petróleo em áreas habitadas por povos indígenas da comunidade Woarani na Amazônia.

Espera-se uma resposta do Tribunal Provincial de Pastaza, na cidade de Puyo, na bacia amazônica, encarregada de analisar a decisão.

Aparentemente, o Ministério de Energia e Recursos Naturais Não-Renováveis desistiu de apresentar uma apelação a esta sentença histórica em primeira instância favorável a essa comunidade indígena. Assim, a apresentação do recurso está nas mãos do Ministério do Meio Ambiente.
As organizações indígenas disseram em um comunicado que o Ministério do Meio Ambiente havia adotado "uma posição pró-petróleo na audiência de apelação" e que "um aparente erro do Ministério da Energia" deixou a última cartada fora do recurso contra a sentença.


Essa luta do povo Waorani é a bandeira de todos aqueles que buscam restaurar os direitos dos povos nativos às políticas extrativas de governos e multinacionais.


Publicidade