Publicado em:

Cão se recusa a deixar seu melhor amigo no hospital - a razão veio ao meu coração

Compartilhe

Visitar um hospital nunca é divirto e para uma criança com autismo pode ser uma experiência muito pesada. James Isaac, de nove anos, não pode falar e não gosta de contato físico. Porem tem uma coisa que o faz sentir muito seguro:  Seu cachorro Mahe

James visitou recentemente um hospital de crianças em Wellington, Nova Zelândia, para fazer uma ressonância magnética. Seu cachorro guia Mahe, o acompanhou para apoia-lo.



Eles até o deixaram ficar na cama com James.



Mahe chegou à família faz dois anos e meio e a mãe de James, Michelle, conta que o cachorro havia mudado a vida de seu filho. O cão acompanha James em todos os lugares e o tranquiliza quando está preocupado ou quando tem medo.



Não é apenas no hospital que James precisa de apoio de seu cachorro. Antes que Mahe ganhasse vida, era difícil para a família sair pelas ruas.

“Não podíamos sair e tomarmos um café com a família. Porém quando chegou Mahe James ele ficava tranquilo e nos esperava tomarmos nosso café”, Conta a mãe de James a stuff.co.nz.



“Há um vinculo mágico entre crianças com autismo e seus cães. Eles podem acalmar as crianças. As crianças podem olhar para o cachorro, algo que muitas vezes não podem fazer com seus pais ou irmãos” Diz Wendy Isaac, que trabalha treinando cães-guia.


Mahe não só tranquiliza James, como também faz com que ele se sinta seguro. Quando estão afastados eles são colados um ao outro. Se James sai correndo ou se vai cruzar uma rua cheia de carros Mahe o para.



 Fico muito feliz em ver tudo o que os cães podem fazer para crianças com necessidades especiais. Os animais são maravilhosos!


Fonte: Newsner Español  


Visitar um hospital nunca é divirto e para uma criança com autismo pode ser uma experiência muito pesada. James Isaac, de nove anos, não pode falar e não gosta de contato físico. Porem tem uma coisa que o faz sentir muito seguro:  Seu cachorro Mahe

James visitou recentemente um hospital de crianças em Wellington, Nova Zelândia, para fazer uma ressonância magnética. Seu cachorro guia Mahe, o acompanhou para apoia-lo.



Eles até o deixaram ficar na cama com James.



Mahe chegou à família faz dois anos e meio e a mãe de James, Michelle, conta que o cachorro havia mudado a vida de seu filho. O cão acompanha James em todos os lugares e o tranquiliza quando está preocupado ou quando tem medo.



Não é apenas no hospital que James precisa de apoio de seu cachorro. Antes que Mahe ganhasse vida, era difícil para a família sair pelas ruas.

“Não podíamos sair e tomarmos um café com a família. Porém quando chegou Mahe James ele ficava tranquilo e nos esperava tomarmos nosso café”, Conta a mãe de James a stuff.co.nz.



“Há um vinculo mágico entre crianças com autismo e seus cães. Eles podem acalmar as crianças. As crianças podem olhar para o cachorro, algo que muitas vezes não podem fazer com seus pais ou irmãos” Diz Wendy Isaac, que trabalha treinando cães-guia.


Mahe não só tranquiliza James, como também faz com que ele se sinta seguro. Quando estão afastados eles são colados um ao outro. Se James sai correndo ou se vai cruzar uma rua cheia de carros Mahe o para.



 Fico muito feliz em ver tudo o que os cães podem fazer para crianças com necessidades especiais. Os animais são maravilhosos!


Fonte: Newsner Español  

Qual é a sua opinião?