Publicado em:

10 bizarrices que você nunca soube sobre o seu Umbigo

Compartilhe
Você vai ter uma visão diferente sobre seu Umbigo depois de ver essa lista:

1. O umbigo é uma das nossas primeiras cicatrizes


O seu umbigo é formado por tecido cicatricial remanescente do cordão umbilical que ligava você a partir da placenta de sua mãe. Quando o cordão umbilical foi cortado, o pedaço que foi deixado para trás cai, deixando-o com o que é agora o seu  umbigo.

2. Existe uma selva de bactérias em seu umbigo.


Os nossos umbigos são uma verdadeira "selva de bactérias". Em uma pesquisa feita em 2012, os cientistas analisaram 60 umbigos, e para surpresa deles, identificaram mais de 2.368 espécies de bactérias diferentes vivendo dentro desses umbigos. A maioria deles tinham, em média, 67 espécies de bactérias vivendo lá dentro.

3. Piercings de umbigo demoram em média seis meses a um ano para ficarem completamente cicatrizado


E devem sempre mantê-los limpos e secos para evitar infecções.

4. A maioria dos mamíferos não têm umbigo.


Apenas os animais placentários, aqueles que possuem uma gestação parecida com a dos humanos, já nasce com umbigo. Mas a maioria deles tem seus umbigos obscurecidos pela pele, que desaparece com o tempo, ou se transformam em uma cicatriz fina ou um pequeno caroço no lugar.

5. Homens mais velhos e peludos são mais propensos a ter pluma de algodão no umbigo


Você tem mais chances de ter pluma se for do sexo masculino e tiver muitos pelos pelo corpo, pois a pluma é formado a partir de uma mistura de fibras de roupas, cabelo e células da pele, além disso, os pelos são responsáveis por puxar as plumas para o umbigo.

6. Existe um Recorde Mundial do Guinness para o maior acúmulo de plumas


Um homem chamado Graham Barker foi reconhecido oficialmente como o maior acumulador de plumas no umbigo em novembro do ano de 2000, o que lhe rendeu um lugar no Livro Guinness de Recordes Mundiais. Ele acumulava as plumas desde 1984 em garrafas grandes.

7. Olhar para o próprio umbigo já foi uma forma de meditação


Os monges cristãos gregos e outras culturas antigas utilizavam um método de "contemplação do umbigo”, eles acreditavam que meditar olhando para o umbigo davam-lhes uma visão mais ampla para a glória divina.

8. “Omphaloskepsis” é o termo usado para olhar para o umbigo


9. Fetiches com umbigo realmente existem


Um estudo feito por Gert Heilbrunn e divulgado em 1975, relatou a obsessão de um homem de 27 anos de idade por umbigos, exclusivamente “umbigos salientes”. O homem tava tão obsecado por esse formato de umbigo que tentou moldar o seu usando uma lâmina de barbear na primeira vez, e depois uma agulha. Ele não sentiu nenhuma dor no último procedimento.

10. É possível fazer queijo com os germes do seu umbigo


A biológa Christina Agapakis e a artista de odor Sissel Tolaas se uniram para fazer 11 queijos das bactérias encontradas na axilas, bocas, umbigos e pés. As bactérias vieram de uma variedade de lugares no corpo, incluindo do umbigo do escritor de comida Michael Pollan e das lágrimas do artista Olafur Eliasson.

Fontes: [ 01/02 ]

Você vai ter uma visão diferente sobre seu Umbigo depois de ver essa lista:

1. O umbigo é uma das nossas primeiras cicatrizes


O seu umbigo é formado por tecido cicatricial remanescente do cordão umbilical que ligava você a partir da placenta de sua mãe. Quando o cordão umbilical foi cortado, o pedaço que foi deixado para trás cai, deixando-o com o que é agora o seu  umbigo.

2. Existe uma selva de bactérias em seu umbigo.


Os nossos umbigos são uma verdadeira "selva de bactérias". Em uma pesquisa feita em 2012, os cientistas analisaram 60 umbigos, e para surpresa deles, identificaram mais de 2.368 espécies de bactérias diferentes vivendo dentro desses umbigos. A maioria deles tinham, em média, 67 espécies de bactérias vivendo lá dentro.

3. Piercings de umbigo demoram em média seis meses a um ano para ficarem completamente cicatrizado


E devem sempre mantê-los limpos e secos para evitar infecções.

4. A maioria dos mamíferos não têm umbigo.


Apenas os animais placentários, aqueles que possuem uma gestação parecida com a dos humanos, já nasce com umbigo. Mas a maioria deles tem seus umbigos obscurecidos pela pele, que desaparece com o tempo, ou se transformam em uma cicatriz fina ou um pequeno caroço no lugar.

5. Homens mais velhos e peludos são mais propensos a ter pluma de algodão no umbigo


Você tem mais chances de ter pluma se for do sexo masculino e tiver muitos pelos pelo corpo, pois a pluma é formado a partir de uma mistura de fibras de roupas, cabelo e células da pele, além disso, os pelos são responsáveis por puxar as plumas para o umbigo.

6. Existe um Recorde Mundial do Guinness para o maior acúmulo de plumas


Um homem chamado Graham Barker foi reconhecido oficialmente como o maior acumulador de plumas no umbigo em novembro do ano de 2000, o que lhe rendeu um lugar no Livro Guinness de Recordes Mundiais. Ele acumulava as plumas desde 1984 em garrafas grandes.

7. Olhar para o próprio umbigo já foi uma forma de meditação


Os monges cristãos gregos e outras culturas antigas utilizavam um método de "contemplação do umbigo”, eles acreditavam que meditar olhando para o umbigo davam-lhes uma visão mais ampla para a glória divina.

8. “Omphaloskepsis” é o termo usado para olhar para o umbigo


9. Fetiches com umbigo realmente existem


Um estudo feito por Gert Heilbrunn e divulgado em 1975, relatou a obsessão de um homem de 27 anos de idade por umbigos, exclusivamente “umbigos salientes”. O homem tava tão obsecado por esse formato de umbigo que tentou moldar o seu usando uma lâmina de barbear na primeira vez, e depois uma agulha. Ele não sentiu nenhuma dor no último procedimento.

10. É possível fazer queijo com os germes do seu umbigo


A biológa Christina Agapakis e a artista de odor Sissel Tolaas se uniram para fazer 11 queijos das bactérias encontradas na axilas, bocas, umbigos e pés. As bactérias vieram de uma variedade de lugares no corpo, incluindo do umbigo do escritor de comida Michael Pollan e das lágrimas do artista Olafur Eliasson.

Fontes: [ 01/02 ]

Qual é a sua opinião?