Publicado em:

Esses 10 tratamentos do passado vão fazer você agradecer por ter nascido nessa época

Compartilhe
Apesar do nosso país ainda ter sérios problemas nos hospitais, temos que agradecer por ter nascido na época em que nascemos. Isso por que os métodos de tratamentos do passado era muito diferente dos atuais. No passado, quem tinha algum tipo de doença precisava se tratar com médicos que tinham métodos nada legais. Conheça métodos bizarros da medicina antiga:

1- Doentes pendurados por cordas

Benjamin Rush, um médico famoso nos Estados Unidos durante o século 18 criou uma polêmica forma de “curar” doentes mentais. Ele acreditava que esse tipo de transtorno era causado pela má circulação sanguínea no cérebro. Para fazer com que o sangue fluísse direitinho, ele pendurava pacientes através de cordas no teto e os rodava durante horas!

2- Cadeira tranquilizante


Se você já achou o tratamento através de cordas do Benjamin bizarro, saiba que essa não foi a única invenção do médico. Ele também criou uma cadeira tranquilizante, na qual pacientes tinham seus pés e mãos amarrados e a cabeça completamente coberta com uma caixa de madeira. Para que o tratamento realmente “funcionasse”, esse médico maluco batia e abusava verbalmente dos doentes. Isso tudo porque ele acreditava que a dor ajudava no processo de cura.

3- Acabando com o amor

Há séculos os médicos gregos tinham fé de que o amor era uma doença e que, portanto, devia ser tratada. Caso contrário a pessoa apresentaria convulsões e uivaria como um lobo até morrer. Para evitar esse problema, batiam e até jogavam ácidos na pele dos apaixonados. Credo, hein?!

4- Sangria

Edemas agudos de pulmão eram tratados até meados do século 20 através de sangrias, método que consistia em um corte na veia do braço.

5- Enema com fumaça de tabaco


Esse procedimento foi usado amplamente durante o século 19. Ele consistia em inserir a fumaça do tabaco no reto do paciente (sim, isso mesmo que você está pensando). Acreditava-se que essa fumaça curava cólicas intestinais e fazia com que pessoas que tinham acabado de morrer de parada respiratória acordassem.

6- Apiterapia


No início do século 19 um médico austríaco chamado Philip Terc foi picado por muitas abelhas. Depois do susto, ele percebeu que as dores que tinha por conta de um reumatismo haviam sumido depois das picadas. Desde então, diversos adeptos da medicina alternativa usam as abelhas para tratar artrite, tendinite e até herpes.

7- Lobotomia


Um dos tratamentos antigos mais polêmicos da história é a lobotomia. Na década de 30, diversas pessoas com esquizofrenia tinham suas ligações do lobo frontal com outras regiões do cérebro cortadas.

Hoje em dia essa prática é até proibida em alguns países, de tão absurda que é!

8- Terapia do sono

Para tratar doentes psiquiátricos, médicos induziam um sono profundo através de drogas. Você já pode imaginar que diversos pacientes não acordaram desses comas induzidos, né?!

9- Xarope reconfortante da Sra. Winslow


Para acalmar as crianças do século 19, diversas mães compravam o polêmico xarope da Sra. Winslow. Os pequenos realmente ficavam tranquilos depois de consumir o remédio, visto que ele continha quantidades de sulfato de morfina, ópio em pó, amônia e carbonato de sódio. Toda essa mistura diminuía a frequência cardíaca das crianças, que, assim, dormiam.

10- Drapetomania

Um médico de Luisiana conhecido pelo nome de Samuel A. Cartwright certo dia chegou com a solução para os escravos que sofriam da “doença” de querdr fugir de seus senhores. Ele dizia que essa necessidade da fuga era, na verdade, uma desordem médica. Para tratá-los, seus donos deviam chicotar os escravos que trabalhavam carrancudos ou insatisfeitos. Em último caso, sua sugestão era que os escravos tivessem seus dedos amputados.

Fonte: [ Mundo Pocket ]
Apesar do nosso país ainda ter sérios problemas nos hospitais, temos que agradecer por ter nascido na época em que nascemos. Isso por que os métodos de tratamentos do passado era muito diferente dos atuais. No passado, quem tinha algum tipo de doença precisava se tratar com médicos que tinham métodos nada legais. Conheça métodos bizarros da medicina antiga:

1- Doentes pendurados por cordas

Benjamin Rush, um médico famoso nos Estados Unidos durante o século 18 criou uma polêmica forma de “curar” doentes mentais. Ele acreditava que esse tipo de transtorno era causado pela má circulação sanguínea no cérebro. Para fazer com que o sangue fluísse direitinho, ele pendurava pacientes através de cordas no teto e os rodava durante horas!

2- Cadeira tranquilizante


Se você já achou o tratamento através de cordas do Benjamin bizarro, saiba que essa não foi a única invenção do médico. Ele também criou uma cadeira tranquilizante, na qual pacientes tinham seus pés e mãos amarrados e a cabeça completamente coberta com uma caixa de madeira. Para que o tratamento realmente “funcionasse”, esse médico maluco batia e abusava verbalmente dos doentes. Isso tudo porque ele acreditava que a dor ajudava no processo de cura.

3- Acabando com o amor

Há séculos os médicos gregos tinham fé de que o amor era uma doença e que, portanto, devia ser tratada. Caso contrário a pessoa apresentaria convulsões e uivaria como um lobo até morrer. Para evitar esse problema, batiam e até jogavam ácidos na pele dos apaixonados. Credo, hein?!

4- Sangria

Edemas agudos de pulmão eram tratados até meados do século 20 através de sangrias, método que consistia em um corte na veia do braço.

5- Enema com fumaça de tabaco


Esse procedimento foi usado amplamente durante o século 19. Ele consistia em inserir a fumaça do tabaco no reto do paciente (sim, isso mesmo que você está pensando). Acreditava-se que essa fumaça curava cólicas intestinais e fazia com que pessoas que tinham acabado de morrer de parada respiratória acordassem.

6- Apiterapia


No início do século 19 um médico austríaco chamado Philip Terc foi picado por muitas abelhas. Depois do susto, ele percebeu que as dores que tinha por conta de um reumatismo haviam sumido depois das picadas. Desde então, diversos adeptos da medicina alternativa usam as abelhas para tratar artrite, tendinite e até herpes.

7- Lobotomia


Um dos tratamentos antigos mais polêmicos da história é a lobotomia. Na década de 30, diversas pessoas com esquizofrenia tinham suas ligações do lobo frontal com outras regiões do cérebro cortadas.

Hoje em dia essa prática é até proibida em alguns países, de tão absurda que é!

8- Terapia do sono

Para tratar doentes psiquiátricos, médicos induziam um sono profundo através de drogas. Você já pode imaginar que diversos pacientes não acordaram desses comas induzidos, né?!

9- Xarope reconfortante da Sra. Winslow


Para acalmar as crianças do século 19, diversas mães compravam o polêmico xarope da Sra. Winslow. Os pequenos realmente ficavam tranquilos depois de consumir o remédio, visto que ele continha quantidades de sulfato de morfina, ópio em pó, amônia e carbonato de sódio. Toda essa mistura diminuía a frequência cardíaca das crianças, que, assim, dormiam.

10- Drapetomania

Um médico de Luisiana conhecido pelo nome de Samuel A. Cartwright certo dia chegou com a solução para os escravos que sofriam da “doença” de querdr fugir de seus senhores. Ele dizia que essa necessidade da fuga era, na verdade, uma desordem médica. Para tratá-los, seus donos deviam chicotar os escravos que trabalhavam carrancudos ou insatisfeitos. Em último caso, sua sugestão era que os escravos tivessem seus dedos amputados.

Fonte: [ Mundo Pocket ]

Qual é a sua opinião?